Falando sobre tudo

Falando sobre tudo

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Tenho desejos com mulheres, me assumo ou reato meu casamento?




Sou uma mulher casada e tenho um casal de filhos. Depois de 10 anos de casamento, meu marido e eu, somos praticamente amigos, dormimos em quartos separados e mantemos apenas a aparência.  Sinto um desejo enorme por mulheres e até tenho feito minhas investidas em sala de lésbica, para ver se realmente é isso que gosto e quero. Tenho medo de gostar mesmo disso e destruir meu casamento, o que me aconselha?

Mulher Indecisa - por e-mail

Obrigada Mulher Indecisa, por ser nossa leitora.Vamos tentar responder tal questionamento, mas lembramos a você que não somos sexologos, psicologos ou psiquiatras, apenas um grupo de mulheres ( biologicamente, claro) que pesquisam, estudam e gostam e desejam ajudar outras mulheres (biologicas) nas questões sexuais, quando se trata do mundo, digamos, gay. 
Muitas de nos, fomos casadas com Homens (biologicos) e tivemos filhos e temos netos, inclusive. Antigamente, em um passado não muito longe, tinhamos que negar nossa identidade e orientação sexual, pois homossexualismo era tido e tratado como doença de ordem neurologica.  Muitas de nos, foram arrastadas a consultorios psiquiatricos e algumas até internadas para tratarem do " desvio sexual" que acometia. Era bem desse jeito. Então, muitas se casavam com Homem ( biologico) para enganar ou para fugir do chamado " doente neruológico, perversão sexual ou desvio de conduta entre outras. 
Hoje, ja não é mais preciso tal fuga e muitas mocinhas iniciantes até podem gritar a sociedade sua orientação e identidade sexual sem medo de ser taxada de pervertida ou doente. 
Li, um artigo na revista  O Globo, de domingo, 09/06/2013, em que o psiquiatra Dr. Alberto Godin, respondendo a uma de suas leitoras, com questionamentos muito parecidos com os seus, explica bem essa situação que percebemos que muito a aflige e transcreveremos parte do artigo e ao final o site para que você obtenha maiores informações sobre o texto ou a questão em si.

" (...) Os desejos homossexuais, dependendo da sua intensidade e localização oferecem diferentes destinos. Quando são intensos, nítidos e conscientes, assumem o comando da vida amorosa. Casamentos convencionais terminam quando um dos cônjuges decide assumir suas preferências. Nestes casos, o  primeiro casamento não passa de uma tentativa esforçada de se adaptar à sociedade e, em tempo, assumem sua verdadeira identidade. Já quando estes desejos permanecem encobertos pela repressão, podem se tornar presentes para seus protagonistas sob outras modalidades, como frigidez, obesidade, ciúmes, depressão ou outros infinitos e criativos formatos. Infelizmente quando o desejo homossexual se transforma em outras modalidades, não é reversível, não cura, em gesto libertário, seu protagonista se submete a uma experiência homossexual. Pelo contrário, pode agravar o quadro e o que precisa é de um trabalho terapêutico, às vezes demorado, para elaborar e resolver estes conflitos. 

Miriam não foi uma esposa neurótica, não infernizou seu marido com as negativas da frigidez, obesidade ou ciúmes, certamente porque seus desejos homossexuais não foram suficientemente intensos, nem reprimidos, apenas adiados e esta estratégia, voluntária ou não, possibilitou uma excelente vida em família, mesmo que consciente dos seus desejos, tendo realizado com sucesso seu projeto familiar. 
Assumir a homossexualidade é, sem dúvida, difícil, porém é ainda mais difícil ser um neurótico que não sabe que tem desejos homossexuais. O labirinto psíquico é generoso com os desejos liberados e cruel com os reprimidos, simplesmente porque não sendo reversíveis, não podem ser satisfeitos, já que nunca recuperam seu formato original. 

As neuroses originadas pela repressão de desejos homossexuais se resolvem no divã, não na cama. Miriam não reprimiu, adiou suas preferências e sua estratégia foi eficaz, evitando as armadilhas neuróticas. Por esse motivo foi feliz no seu casamento e também poderá ser bem sucedida nas próximas opções. No entanto, infelizmente, sua nova realidade não a libera do luto de perder os suportes afetivos do seu passado, nem da ameaça de solidão ou de um arrependimento maciço. São os riscos que correm aqueles que têm a coragem de assumir seus desejos. Sem neurose não há freio, é possível avançar rapidamente, escalando montanhas, ou caindo no abismo. A distância é a mesma. Uma ascendente, a outra... Não."


Espero poder ter ajudado,

Beijos Carinhosos

Vitoria ACosta

Dança do Ventre - Origem



dança de ventre é uma famosa dança praticada originalmente em diversas regiões do Oriente Médio e da Ásial Meridional.  De origem primitiva e nebulosa, datada entre 7000 e 5000 a. C. seus movimentos aliados a música e sinuosidade semelhante a uma serpente  foram registrados no Antigo Egito, Babilônia, Mesopotâmia, Índia, Pèrsia e Grécia,  e tinham como objetivo preparar a mulher através de ritos religiosos dedicados a  deusas  para se tornarem mães. Com a invasão dos árabes, a dança foi propagada por todo o mundo.A expressão dança do ventre surgiu na  França, em 1893. No Oriente é conhecida pelo nome em árabe raqṣ sharqī (رقص شرقي, literalmente "dança oriental"), ou raqṣ bládi (رقص بلدي, literalmente "dança da região", e, por extensão, "dança popular"), ou pelo termo turco çiftetelli (ou τσιφτετέλι, em grego).

É composta por uma série de movimentos vibrações, impacto, ondulações e rotações que envolvem o corpo como um todo.Na atualidade ganhou aspectos sensuais exóticos, sendo excluída de alguns países árabes de atitude conservadora.

Dança do Ventre - aula




Música Árabe e seus 5 estilos


Música Árabe




Há basicamente cinco estilos diferentes de música árabe para a dança do ventre: músicas modernas, músicas folclóricas, músicas clássicas, solos de percussão e taksin.

É importante que a bailarina de dança do ventre conheça as diferenças entre as músicas e saiba identificá-las, para não realizar danças em músicas inadequadas.


E depois é importante que ela acompanhe com seus movimentos as marcações musicais, gerando assim uma sintonia entre o que se ouve e o que se vê, ou seja, causando assim a impressão de que os sons são emitidos pelo próprio corpo da bailarina.

As músicas modernas geralmente são lineares, não oferecendo grandes mudanças. Costumam apresentar um ritmo só do início ao fim, e o mais comum é o ritmo said, embora às vezes possa ter também o baladi e o malfuf. Geralmente elas são cantadas, e como exemplos de cantores modernos temos Ehab Tawfic, Amr Diab, bem como Nancy, só para citar alguns.

Por não apresentar grandes variações, este tipo de música é o mais adequado para aquelas que estão começando a dançar, e que provavelmente sentirão dificuldades com uma música clássica, por exemplo.

Música Moderna - Nancy Ajram - Ah W Noss:








Músicas clássicas: são as músicas mais longas, podendo ter até 12 minutos de duração. São também as mais difíceis de dançar, pois apresentam muitas variações de ritmos, velocidades e instrumentos, exigindo da bailarina, portanto, uma variedade de passos e bem como habilidade para marcar as nuances da música.

Geralmente começam com uma grande entrada, na qual a bailarina se apresenta ao público, fazendo deslocamentos, e podendo entrar com véu. E a música finaliza com essa mesma parte em que se iniciou, e é onde a bailarina se despede do público. No meio da música clássica, os ritmos e os instrumentos variam bastante, e geralmente pode aparecer um solo de percussão, um taksin, uma parte cantada, ou uma parte folclórica. E neste caso cabe à bailarina saber interpretar bem cada momento deste estilo de música grandiosa.

Música Clássica - Hossam Ramzy - Aziza:








Nos solos de percussão, como diz o nome, só há percussão, não há voz e não há nenhum outro instrumento melódico. O principal instrumento de percussão é o derbak, então ele quase sempre estará presente em um solo.

No entanto, provavelmente também haverá algum pandeiro, podendo ter também snujs. Neste tipo de música a bailarina precisa marcar bem as batidas de percussão na música, já que ela será composta somente por sons batidos. Por isso, este tipo de música requer certa habilidade da bailarina, e para que não perca as batidas da música é recomendado que a dança seja coreografada.


Solo de Percussão - Hossam Ramzy - Mash'allah:






taksim é um tipo de música onde há apenas o som de um instrumento melódico, que pode ser o violino, ou acordeon, ou uma flauta, ou alaúde, ou kanoun, entre outros. Nesta música o músico está improvisando, o que significa que o que está tocando não está escrito, e que não voltará a se repetir da mesma maneira.

No taksin pode haver acompanhamento de um instrumento de percussão ou não. É um estilo de música que requer da bailarina movimentos mais lentos, contidos, com poucos deslocamentos em cena.

Há trechos de taksin em uma música clássica bem como há músicas inteiras de taksin.



Texto extraído na integra do site: http://www.centraldancadoventre.com.br/musica-arabe/324-musica-arabe

Músicas Àrabes para você dançar




1. HABIBI YA NOUR EL AIN  






2. CHEB MAMI



3.  AZEZ ALAYA  





5. WRAAL AL CHAJAR  




6. YA HELOU YA ZEIN   






7. MAKTUB 




8.  KEPHREN  





9.  DANÇAS SAGRADAS DE ÍSIS  





10.DANÇA DAS SERPENTES   






sábado, 17 de agosto de 2013



Passamos duas semanas pesquisando sobre fetiches e fantasias femininas e ao longo desta semana estaremos  postando para vocês. Nossa, caramba meu, como as mulheres adoram fantasias e isso é ótimo para incrementar a relação, não é? Claro que já existe uma seção com este tema “Fetiches e Fantasias”, que aliás conta com mais de 100 fetiches diferentes e alguns depoimentos, alem de matérias sobre. Além de outra seção destinada a BDSM, que também não deixa de ser uma fantasia/fetiche. Também, temos na seção Contos eróticos, vários contos contendo fantasias e fetiches vividos por nossas leitoras que garantem serem verdadeiros.Mas, como o assunto não se esgota e recebemos vários e-mails com perguntas e comentários sobre, resolvemos postar algumas matérias e sites que acreditamos ser interessante.
Abaixo vamos descrever as mais cotadas fantasias femininas que pesquisamos, com adaptação somente para o mundo biologicamente feminino. (heteros, lésbicas, cissexuais, transexuais outros). Iremos acrescentar  o que pesquisamos entre as mulheres que conhecemos, e nos muitos sites que tratam do assunto.
Ah, deixem seu comentário abaixo de cada postagem e se quiser nos contar alguma fantasia sua, sinta-se a vontade, iremos adorar. Isso sem contar que um conto erótico seria de bom grado a todas. hehehe, mas tem que ser verídico (verdadeiro), ok? Envie-nos por e-mail  Não coloque nomes verdadeiros, e nem telefones, endereços, pois não será postado, pelos motivos óbvios. Temos recebido alguns recados, comentários e contos com telefones e pedidos para postar. Putz! Esse blog não é de encontros, não postamos nada que seja pornográfico ou crimes de quaisquer espécies, e sem brincadeira, comercial de prostituição é inaceitável aqui, não insistam, por favor. Ah, ia me esquecendo, não divulgaremos através de postagem sua loja de materiais pornográficos ou eróticos, não envie promoções, fotos, contatos e etc.
No mais, esta semana será dedicada aos fetiches e fantasias entre pessoas biologicamente femininas e postaremos um filme contento fetiches e um lindo filme de amor lésbico para vocês, além de uma matéria sobre mulheres que amam demais. Espero que gostem!

Beijos carinhosos

Vitoria Costa


Fantasias sexuais das Mulheres


As fantasias sexuais preferidas das mulheres


Abaixo vamos descrever algumas fantasias femininas que pesquisamos, nos sites e entre mulheres que conhecemos reais e virtuais ( heteros, lésbicas, cissexuais e transexuais), vejam:

Dominação: Elas adoram dominar, estar no controle na situação, da vida, da cama,do sexo. Ver sua parceira implorando por elas na cama, é tudo de bom, para esse grupo. A obediência e a submissão, a idolatria e devoção, tudo somado a dedicação a sua parceira ou parceiro ( cissexual e transexual) é essencial  e necessária para a satisfação de ambas.
Submissas: mulheres adoram ser dominada, comandada e direcionada.É muito comum elas fantasiarem que estão sendo amarradas e subjugadas pela sua parceira . Elas querem sentir a força de sua parceira, quando seguradas firme pelos cabelos. Uma boa pegada é tudo, diz uma delas,.Outra nos interrompe e diz, muito segura, "Ser possuída é a ideia" 
Professora e aluna: elas adoram a ideia de se fantasiar de colegiais. A maioria espera levar umas belas palmadas. Sim, as palmadas mostram não apenas uma relação de dominação, como também ajuda a embarcar num clima muito quente. A criatividade não deve ter limites, e para quem gosta de tornar sua fantasia quase que real, podem criar cenários ( mesa, cadeira, livros, réguas e vestimenta própria, ou seja roupa de colegial e óculos de professora )
Sexo casual:  Sexo com alguém que encontraram na boate ou em um barzinho, pode ser muito prazeroso e elas imaginam que vão  levá-las para um local reservado onde o clima pega fogo. Sexo casual, na parede, na pia do banheiro público, no estacionamento, na praia. no elevador e até em alguma escada da vida. 
Ménage: Muitas mulheres  tem vontade de ir para cama com você e outra mulher ou outras mulheres. A fantasia vai depender da identidade sexual ou até mesmo do grau de intimidade e afetividade.
Estupro: A ideia de ser  estuprada,claro que consentido e combinado, é maravilhosa para elas. Elas gritam, choram, se debatem, imploram para parar ( querem que continue), A cena fica a critério das duas e quantas e quais pessoas vão entrar em cena, também. A maioria das mulheres, imaginam a cena somente com sua companheira, pois se sentem seguras. Na verdade, ninguém quer ser machucada de verdade, mas somente viver a situação do controle total da parceira. 
Strip-tease: As mulheres adoram usar toda sua sensualidade para conquistar  ou incentivar sua parceira. A música, a dança sensual, a performance ( olhar, roupa, etc)  é tudo que precisam. Você não sabe dançar? Não conhece musica de stripe? Ah, então vamos aprender a seduzir sua parceira a ponto de quem sabe rolar depois todas as outras fantasias, nesta postagem descrita. rsrs
Encontramos esse video, claro que não precisa estar com essa endumentária e nem uma enorme taça, que tal trocar por uma calcinha preta, uma cinta liga e um lindo sutiã rendado, isso sem esquecer que deve iniciar vestida, mas um penhoar preto resolveria, por exemplo. hehehe, só foi uma ideia. kkkkkkkk. Quanto a taça, pode ser uma banheira de hidromassagem ( todo motel tem), um sofá, a cama de casal e até a mesa de jantar resolveria. Use sua criatividade!

Striptease - Origem



Nos anos 1917, no bar National Winter Garden, Mae Dix, ainda comediante, para baratear os custos de manutenção do figurino, retirou (sem nenhuma pretensão de causar o que houve a seguir) a gola de seu vestido, excitando a platéia. Percebendo a reação da platéia, Mae tirou os punhos da roupa e abriu os botões do vestido. Com esse "incidente" Mae inventou uma das mais populares atrações.
Com isso, os donos do estabelecimento viriam a ter apresentações regulares de Mae.
O striptease era considerado imoral, e na época foi proibido. No começo, as artistas usavam pretextos como "apresentações fieis" de teatros greco-romanos. Logo após um tempo, o striptease foi completamente abolido. Apenas nos anos 50 e 60, com a explosão de movimentos considerados "anti-moralistas" (para a época), como o próprio feminismo, que o striptease pôde ser legalizado.

Strip - Video


MUSICA PARA STRIP


1. JOE COCKER - YOU CAN LEVE YOUR HAT 



                      



2. EURYTHMIRS - SWEET DREAMS


                                                 

                 


3. EDGE OF THE WORLD - FAITH NO MORE



                                               

           


4.BRITNEY SPEARS - I'M A SLAVE 4 U



                                            



5. PORTISHEAD - GLORY BOX


          


7. ERIC CLAPTON- HOUCHIE COOCKIE MAN



      



7. MADONNA - JUSTIFY MY LOVE



                                            



8. BRINEY SPEARS - GIMME MORE




9. RIGHT SWID FRED - I'M TOO SEXY


                                   


10.TOUCH & GO - STRAIGHT TO NUMBER ONE




Ativa falando sobre fetiche




Todo fetiche é bizarro, claro, o normal é a relação sexual tipo " papai e mamãe, aquela coisa antiga de que sexo é para procriação, enfim. Mas, não são exatamente uma patologia, quando consentido e por mero prazer sexual. Acha estranho a minha colocação? Bem, a alguns anos atrás, se me falassem em Biastofilia, ia dizer que a pessoa era um maníaco sexual, mas não, já postei um conto que lembra o filme "bonitinha mais ordinária", que retrata essa tara e outras, como masoquismo, sadismo, bondagem, etc. Tudo numa só fantasia. O filme " Bonitinha mais Ordinária", lida com este assunto de forma simples, um desejo sexual de uma mulher que pede ao seu amante "cadelão", para contratar 5 caras para a estuprarem e ele realiza o desejo dela e dele, pois fica de longe olhando.  Quem não imaginou uma cena dessas?  Tudo bem, cinco caras é exagero, mas há quem tenha essa fantasia. Mas três, dois ou seu parceiro ou parceira? Um estupro consentido, ou como queiram chamar de "brincadeirinha", enfim, quem não teve essa fantasia? Sempre digo, tudo é valido, desde que seja acertado e concordado. Passou disso, então é anormal sim, pois configura crime, diversos dele. Imaginem na cena do filme, se não fosse um pedido da mocinha, então íi crimes como formação de quadrilha, lesão corporal leve e grave, estupro, sequestro e até tentativa de homicídio. Mas, tudo que é combinado, aceitado e/ou permitido é normal e prazeroso.  O blog tem postado 100 fetiches para vocês, se você se identificar com um ou mais, não se assuste, eu mesmo, tenho muitos deles e não pareço anormal.(rsrsrs) Não existe quem não tenha participado ou sonhado com "unzinho " sequer. Por que se você consegue fazer sexo, sem nunca fantasiar, nunca criar, nunca sonhar, nunca imaginar um 'fetichezinho" então é melhor você olhar ao redor, porque se todos parecerem anormais na sua visão, quem precisa de ajuda é você! ( risos) Brincadeirinha!

    Respeitar o outro é o mínimo que podemos fazer!

 AtivaRomantica

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Contos Eróticos V






Certa vez, estava teclando com uma figura, que havia conhecido em uma das salas de papo sob o nick de " Estrela" . Não a conhecia pessoalmente e sabia o mínimo de sua vida, que nem sei se era verdade. Na Internet podemos ser quem quisermos. Enfim, estávamos teclando e tentando saber o mínimo uma da outra, para ver afinidades. Costumo dizer que tem que rolar física, química e matemática. (rsrsrs) Conversamos sobre sexo. Ela disse que estava a meses sem transar e que sentia um tesão enorme. Perguntei o que ela não gostava em sexo e que não podia faltar na cama para que ela se satisfizesse totalmente. A pergunta era pertinente, pois sabíamos que de resto éramos compatíveis, digamos assim. Faltava saber a compatibilidade sexual, para que partíssemos para o conhecimento real. Ela docemente me respondeu que não curtia dor e que de resto não tinha restrições. Bom isso. Mas, tipo, a resposta dela e o sorrisinho que veio depois, me deu a certeza que não rolaria algo serio, não era a mulher que tivesse as caracteristicas de "minha namorada". Mas estou sempre pagando pra ver, então resolvi ter certeza da minha afirmação. Perguntei então, se tinha alguma fantasia e ela sorriu e disse que tinha sim e que gostaria de transar amarrada em um poste, igual ao filme "Bonitinha mais ordinária". Não assisti este filme, mas vi pedaços e sei do que ela falava. Comecei a descrever o ambiente que aconteceria tal fantasia, sabia que era isso que ela queria. A experiência nos dá essa certeza do comportamento de cada mulher. Nada contra, muito pelo contrário, mas, de verdade, não é o tipo de mulher que eu namoraria devido as atitudes no virtual, realizadas com alguém que mal conhecia. Mas respeito todas as opções e escolhas, claro. Afinal, já disse, sou um cavalheiro. Diante disso,  iniciei um sexo virtual, escrito. Disse-lhe, "Querida, teria que ser um lugar seguro e que não corressemos o risco de sermos vistas.  Uma estrada deserta, ou um terreno baldio. É isso, um terreno baldio, perfeito! Muros altos e com um portão de ferro enferrujado e trancado com uma corrente grossa. Conseguimos entrar pela fresta. No canto do muro um poste. Obrigo você a entrar no terreno, sob forte ameaça de nunca mais te ver. Você reluta mais acaba cedendo. Saio puxando você pelo braço até chegarmos ao tal poste.Você me implora para solta-la. Mas, eu a mantenho dominada, completamente. Tiro do bolso uma corda e jogo você contra o poste, amarrando suas mãos de forma a prende-la.Você me implora por piedade, ameaça chorar mais em vão, você esta no meu domínio e sabe bem o que vai acontecer com você. Seu olhar é de desespero e aflição, o medo estampado em sua face. Sem dizer nada, rasgo a sua roupa, deixando seus seios a mostra e arranco seu vestido. Você não usava calcinhas, por que você é uma vadia mesmo e gosta de ser enrabada. Acaricio seus seios, de forma um tanto bruta, puxando seus biquinhos já rígidos pelo tesão. Meu corpo se estremesse e coloco a mão em sua bocetinha e percebo que já esta molhada, minha mão fica encharcada e retiro repentinamente e enfio no seu cuzinho que já esta me chamando, abrindo e fechando descompassadamente. Delicia. Você geme, grita, urra e penetro com a outra mão a sua bocetinha e inicio um vai e vem que me deixa louco de tesão.O suor vem ao meu rosto e sinto que meu corpo reage ao seu e você libera seu gozo, jorrando seu liquido por sobre minhas mãos...." Eu narrava o lugar e a situação e deixava no ar o ato sexual que, supostamente, faríamos se estivessemos numa situação real. "Estrela", podia imaginar a cena e o sexo e se masturbava do outro lado da tela. Eu, apenas narrando. "Estrela" conseguiu gozar e conversamos por mais alguns minutos. Nunca mais vi "Estrela", mas sei que nosso sexo virtual foi bastante satisfatorio e inesquecivel.

Tudo que é consentido é normal



Se você se identificou com uma ou mais dessas  100 (cem) " taras sexuais",na seção fantasias ou fetiches ou na seção Taras Sexuais Femininas e , não se preocupe, como disse em postagem anterior, cada um com seu cada um. Tudo é valido, desde que se tenha respeito e seja consentido, claro, com algumas exceções como a necrofilia, pois o cadáver não tem como aceitar ou participar, ou na voverafilia pois é crime, homicídio ou na asfixiofilia pois causa problemas de saúde e pode levar a morte, no meu ver, uma tentativa de homicídio, enfim... tudo em sexo feito com respeito e consentimento, se torna saudável e prazeroso, desde que não seja um crime. Vejam nos marcadores também "contos eróticos" e Identidade  sexual " Os contos eróticos, em sua maioria, trazem relatos de pratica de um ou muitos desses fetiches, vale a pena ler e identifica-los, mas não crie a fantasia de "nossa, tenho várias dessas fantasias, sou uma pervertida!", por que perversão é outra coisa, é desvio de conduta e doença e deverá ser tratado. Agora, gostar de praticar alguns desses fetiches com sua parceira e ambas se realizarem, ora, isso é sexo gostoso. A cumplicidade é a base do fetiche como sexo normal e prazeroso. Anormal é o que não é consentido e aceito ou prazeroso para ambas, certo? Então não encuque e aproveite para realizar, quem sabe, alguns outros muitos que ao lê-los sentiu um "tesãozinho" gostoso e na pratica, uau, vai ser tudo de bom e mais muitas outras coisas.

AtivaRomantica



terça-feira, 6 de agosto de 2013

Britânica descobre que seu namorado era mulher

Depois de anos, britânica descobre que seu namorado, na verdade, é mulher


Parece confuso, e na verdade é, mas Nicole Lindsay descobriu que seu namorado, com quem esteve junto por anos, na verdade é uma mulher! Ela sonhava em casar e ter filhos com o homem, mas na realidade ele é Samantha Brooks, uma lésbica acusada de crimes sexuais.
A história dos dois, ou melhor, das duas, começou em 2001, quando Nicole tinha apenas 14 anos. Elas se conheceram pela internet e mantiveram um relacionamento à distância até 2006, quando se encontraram pela primeira vez e começaram a namorar, mas se viam apenas aos finais de semana. 
O relacionamento durou até 2007, quando Samantha, que até então era Lee, mandou uma carta avisando à namorada que estava na prisão por ter batido num pedófilo. Porém, a verdadeira história já era outra: estava presa sob acusação de crimes sexuais contra uma menina de 14 anos. 
Depois que foi solta, em 2010 Samantha entrou em contato novamente com Nicole e elas voltaram a se relacionar, apesar de Nicole e sua família acharem estranho o fato de seu namorado não ter barba ou pomo de Adão. Outro fator que a intrigava, mas não incomodava, é que o homem não se sentia confortável em ficar nu na frente da amada, pois afirmava sofrer de câncer nos testículos. Samantha também usava bandagens em volta do peito e afirmava que isso era paraesconder marcas deixadas por um parceiro anterior. 
A verdade só veio à tona em setembro deste ano, quando Samantha foi presa novamente, emLondres, e Nicole foi chamada à delegacia para depor. 
Nicole, que afirma ter feito sexo com “o parceiro” por anos, diz saber que ele estava escondendo algo. Segundo relatos, durante as relações sexuais, a falsa homem usava um porta-rolo de papel higiênico de madeira como pênis. 
Para deixar a história ainda mais bizarra, Nicole é mãe de duas crianças, mas, obviamente, não são filhas de Lee, ou melhor, Samantha. 
Extraído do site:

Filho Transexual de Cher

Filho transexual de Cher pretende comprar pênis com suas economias, diz revista



Em entrevista a edição americana da revista "Rolling Stone"Chaz Bono, o filho transexual da cantora Cher, revelou que pretende comprar e implantar um pênis. Ele, que nasceu Chantity, revelou ser homossexual em 1995 e já fez uma cirurgia para a retirada dos seios, além de tratamentos à base de hormônios masculinos.

Depois de participar do reality Dancing With the Stars (uma espécie de Dança dos Famososgringa), Chaz ganhou fama e disse estar estudando suas finanças para realizar o grande sonho. 

“Eu poderia fazer uma faloplastia – que consiste em implantar em seu corpo um pênis doado. Mas estou pensando em fazer uma metoidioplastia, um procedimento que usa o que você já tem lá na região”, explicou à publicação.

Segundo Chaz, por conta dos tratamentos à base de testosterona seu clitóris já está maior, “funciona perfeitamente, fica ereto e permite ter toda a sensação”. No entanto, não é o suficiente.
“Nunca vi um ereto após a cirurgia, mas sem estar ereto ficaria aproximadamente com uns 7 cm, e cresce consideravelmente. Com a cirurgia que eu gostaria de fazer, precisaria de um implante de testículos e também gostaria de poder urinar com ele”, disse. 
Quando questionado sobre o valor da cirurgia e quanto precisaria economizar, Chaz respondeu que seria mais ou menos como o valor de um carro, em torno de US$ 25 mil e US$ 45 mil (cerca de 51 e 92 mil reais)!

Extraído do site:

Casal de adolescentes Trangêneros

Casal de adolescentes transgêneros luta contra o preconceito

Ela nasceu menino, ele nasceu menina. Após mudança de sexo, Katie e Arin começaram a namorar e hoje tentam ajudar outros jovens que passam pela mesma situação


(...) À primeira vista, os dois têm tudo para ser mais um casal adolescente americano. Exceto pelo fato de que ambos fizeram intervenções estéticas para mudar de sexo.

Katie, de 19 anos, nasceu como Luke e iniciou um tratamento hormonal para desenvolver seios naturais sem precisar de implantes de silicone. Um doador anônimo, comovido com a história, colaborou com 40 mil dólares (cerca de R$ 80 mil) para a mudança de sexo de Katie, como presente de aniversário de 18 anos, em 2012. “Mesmo quando tinha 3 anos de idade, eu sabia que, no fundo, queria ser uma menina. Tudo o que eu desejava era brincar com bonecas. Eu odiava meu corpo de menino e numa me senti bem nele”, disse Katie ao canal do Youtube Barcroft TV.

kATIE QUANDO AINDA ERA LUKE (À ESQUERDA) E APÓS A MUDANÇA (FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK)


Arin, de 17 anos, nasceu como Emerald, menina que ganhou concursos de beleza e fazia balé. “Os professores separavam os meninos das meninas. Não entendia por que me colocaram entre elas”, disse ele na mesma entrevista. Arin falou também que sempre sonhou em pilotar motos, mas não podia pois diziam que era "coisa de menino. Foi uma tortura todos os dias”. Graças aos pais, ele fez a cirurgia de remoção dos seios e de mudança de sexo.


ARIN QUANDO AINDA ERA EMERALD E EM FOTO ATUAL (FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK)


O ENCONTRO
Os dois começaram a fazer terapia, se conheceram em um grupo de apoio aos transgêneros, em Oklahoma, nos Estados Unidos, e se apaixonaram.

Arin disse ter ficado chocado com a beleza de Katie e que a achava bonita demais para ser transexual. Atualmente, o casal dá entrevistas sobre a história para ajudar outros jovens que passam pela mesma situação, traumas e falta de apoio dos pais. Quanto aos dois, após a difícil aceitação da família, eles lidam bem com o assunto e estão apaixonados. “Somos perfeitos um para o outro porque sofremos os mesmos problemas”, concluiu Katie.
KATIE E ARIN (FOTO: REPRODUÇÃO/YOUTUBE)

União Homoafetiva



ESTA SEÇÃO TRATA DA LEGALIZAÇÃO DO CASAMENTO HOMOAFETIVO EM TODO MUNDO E COM MAIS ENFASE NO BRASIL, CLARO. NO BRASIL TEMOS O CASAL DE LÉSBICA QUE COMEMOROU 70 ANOS DE UNIÃO, O 1º CASAMENTO CIVIL NO BRASIL E REPORTAGENS SOBRE ARTISTAS QUE ESTÃO SE ASSUMINDO, COMO A DANIELA MERCURY E AGORA A JOGADORA DE VOLEI DE PRAIA LARISSA. 

Jogadoras de Vôlei se casam


Jogadoras de vôlei de praia, Larissa e Lili se casam em Fortaleza




A medalhista olímpica de vôlei de praia Larissa França, que fez dupla de sucesso com Juliana e foi hexacampeã mundial da modalidade, casou-se na noite do último sábado com Lili Maestrini, que segue jogando no circuito ao lado de Bárbara Seixas. A cerimônia aconteceu em Fortaleza, capital do Ceará.

O casal já havia assumido publicamente o romance em 10 de julho, por meio do Facebook. "Hoje é nosso dia, paixão! Momentos maravilhosos e inesquecíveis! Deus é maravilhoso comigo, agradeço a ele todos os dias por ter me dado você. Vivemos, aprendemos, crescemos, brincamos, sorrimos... E o mais importante é que em todos esses momentos você estava comigo. Te amo cada dia mais e tenho muito orgulho de ser sua namorada. Você é maravilhosa! Se cuida pra mim, tá? Beijos", publicou Larissa na ocasião.


Outros atletas já assumiram publicamente a homossexualidade. Casos recentes são o do jogador de basquete Jason Collins, do Boston Celtics, e o do jogador de futebol Robbie Rogers. Além deles, as tenistas americanas Martina Navratilova e Billie Jean King e o brasileiro Michael, do Vôlei Futuro, são outros esportistas que revelaram sua orientação sexual.