Falando sobre tudo

Falando sobre tudo

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Contos Eróticos IV



                 " Conheci Teresa, na empresa em que eu trabalho e depois de algum tempo de convívio, começamos a nos relacionar sexualmente. Ela era ativa e mais velha que eu alguns anos. Trabalho como secretária e ela era uma das executiva desta empresa, e minha chefe. Normalmente, estávamos juntas. Eu acabara de levar uma bronca do meu chefe superior e fui contar a Teresa, achando que ela fosse me apoiar.  Para minha surpresa, aconteceu o contrario, ela disse que estava errada e que tinha que aprender a respeitar meus superiores. Eu fiquei com muita raiva dela e sai falando um monte e acabei por xinga-la de puxa-saco. Ela me olhou de um jeito que me fez estremecer. Pegou no meu braço e me sacudiu dizendo que eu tinha que aprender a respeitar os superiores e o macho dela e que ela ia me ensinar. Me puxou até a mesa do escritório e me virou de bruços, eu fiquei desesperada e com muito medo. Ela levantou minha saia e baixou minha calcinha e começou a me bater como se eu fosse criança. Eu pedia para ela parar e ela batia com mais força e começou a mandar eu repetir três vezes tudo que ela iria dizer. Meu bumbum já estava ardendo de tanto apanhar e eu resolvi obedecer, na esperança que ela fosse parar de me bater. Então ela dizia: " eu nunca mais vou responder ao meu superior" e eu tinha que repetir três vezes e levava três palmadas após, e ela continuava as frases " eu nunca mais vou xingar meu macho" e eu repetia e levava mais três palmadas e continuava ela " eu vou aprender a respeitar e serei obediente". Eu não aguentei e comecei a chorar, estava doendo muito e me senti humilhada por estar apanhando daquela forma e não repeti nada, só chorei. Então ela pegou o cinto que usava e disse quase que gritando para que eu repetisse e que eu era uma menina teimosa e que precisava ser corrigida e lascou a cinta na minha bundinha já vermelha e doida e eu gritei muito. Como eu gritava e chorava ela continuou a lascar o cinto na minha bunda cada vez com mais força e eu, mesmo chorando e soluçando comecei a repetir devagar: " eu vou aprender a respeitar e serei obediente". Ela parou se afastou e disse, eu quero que continue repetindo: nunca mais vou desrespeitar o meu macho" e eu repetia e chorava e ela me olhava. Me senti muito mal e aquela posição de humilhação e submissão me fez ficar com muita raiva mesmo. Mas, não disse nada eu queria mesmo era sair daquela posição e ir para minha sala.  Mas, eu não podia me levantar sem que ela me ordenasse e fui me acalmando. Em dado momento senti a mão dela passando algo no meu bumbum, algo gelado e liquido. Não tive reação fiquei quieta, pois sentia muita dor. Era só o que pensava  e sentia, raiva e dor. Então ela começou a acariciar meu ânus com o mesmo liquido e eu fiquei com um tesão enorme. Que raiva isso me deu. Eu acabara de apanhar muito e ela me acariciando, e me deixando com tesão e eu sem poder me controlar, estava enlouquecendo com aquela massagem no meu ânus. Senti a mão dela na minha vagina que já estava molhadinha e ouvi o riso dela, que ódio. Ela massageou minha virilha e me penetrou de uma forma tão carinhosa e quanto mais prazer eu tinha, mais ela acelerava as estocadas e foi quando penetrou meu cuzinho, que já estava encharcado daquela coisa liquida e gelada. Ela no mesmo ritmo me comeu das duas formas e acelerando as estocadas, só parava para colocar mais um dedo no meu cuzinho.  Eu não sei quantos colocou, por que estava enlouquecida de tesão. Em dado momento, na aguentei e iniciei uma sequencia de gozos, que nunca havia  acontecido antes. Gozei muitas vezes e muito intenso, quase perdi o folego. Ela, sentindo que havia gozado o suficiente, se afastou, entrou no banheiro e saiu. Eu ainda estava debruçada na mesa, sem coragem de levantar. Ela me olhou e disse: " melhor você se lavar, por que não vou gostar se ver minha secretária desarrumada", disse isso e saiu da sala. Eu corri para o banheiro e me lavei. Fiquei algum tempo me olhando no espelho e pensando no que tinha acontecido. Olha, eu até hoje não sei explicar o que senti, pois senti varias coisas ao mesmo tempo, raiva, ódio, humilhação, desespero, agonia, dor, ardência, tesão e algo que nunca havia sentido, um prazer enorme. "


Conto enviado por Loba Triste



2 comentários:

Beija flor disse...

Muito Interessante. Gostei...

daniele chagas disse...

eita que experiencia heimm!!! ah gosto para tudo nesse mundo,mais eu não iria gostar nadinha de apanhar rsrsrrsrs

Postar um comentário